quinta-feira, 5 de março de 2009

Seus problemas acabaram?

Ferramenta para relação universidade-aluno, o Jupiterweb não representa soluções

A internet, mídia onipresente entre estudantes universitários, parece não ter conquistado a totalidade de professores e funcionários da USP. Apesar de mostrar-se a ferramenta mais eficaz no relacionamento instuição-aluno e uma saída para processos burocráticos, o sistema de graduação Jupiterweb apresenta falhas grotescas e pode representar mais problemas que soluções na vida acadêmica da Cidade Universitária.

Os alunos, ao escolherem disciplinas optativas, não raro recorrem a descrições e programas das mesmas disponíveis no site. Isso representaria uma solução às pessoas que pretendem cursar optativas fora de sua unidade e não contam com referências e indicações, mas torna-se um problema quando vê-se que os programas disciplinares estão desatualizados ou completamente diferentes dos apresentados em classe. Dentre as falhas, existem desde métodos de avaliação e recuperação errados a bibliografias inteiras que não correspondem às dadas em aula. Juntamente com os programas desatualizados, estão programas mal-elaborados com trechos repetidos em diversos tópicos.

Os requerimentos via Jupiterweb também iludem. Apesar de representarem uma comodidade a quem faz requerimentos em outras unidades que não a sua, o sistema indefere automaticamente e sem aviso prévio aqueles feitos para matérias da própria unidade. Não há nenhum aviso que alerte os estudantes disso no site.

Dizer que a internet não conquistou alguns professores da USP é, talvez, minha reação otimista diante do fato. O descaso com o sistema Jupiterweb dá-se, também, operacionalmente. É comum que encontremos o sistema fora do ar ou congestionado e com dificuldades de efetivar comandos. Esta é a reclamação feita por professores para justificar atrasos em regularizações de matrícula ou divulgação das notas. Nós, alunos, sabemos que a reclamação procede. E não podemos, no entanto, fazer mais que aguardar até que a solução de nossos problemas deixe de ser, em si, outro problema.

6 commentz:

Yuri Gonzaga disse...

Seu texto tá bem jornalístico!
Mas, pra mim, ficou um pouco "duro" pra entrar no blog.


Sua opinião se concentra no último parágrafo, dando duas fases ao texto: uma é matéria e outra é artigo.

Acho legal fazer uma mescla sem definir o limite, aí vira blog jornalístico.

Luísa Costa disse...

ok, você acaba de destruir minha teoria do 'legal hehehe'!

essa mistura pode ser algo que ultrapasse os limites definidos entre um tipo de texto e outro, mas acho que é falha de estilo mesmo. sinto que só vou sacar o que é uma matéria e um artigo com a aula da nancy.

enquanto não saco... experimento, uai.

mas não entendi o 'duro'. você quis dizer crítico demais ou sisudo?

Yuri Gonzaga disse...

Sisudo, mesmo.

(quanto mais crítico, melhor!)

Amanda P. disse...

Lu, achei bem pertinente esse tema, viu. JWeb estraga nossas vidas e precisamos discutir isso, é fato.

Acho que, principalmente por ser um post sobre internet, você pode usar mais os recursos blog, tipo linkar a palavra Jupiterweb para o próprio, esse tipo de coisa. :)

p.s.: o Yuri reclamando que um texto está crítico demais? Acho que não! hehe

Priscila Jordão disse...

Lu, eu gostei da mescla, acho algo que a gente vê pouco por aí, interessante! Apesar de estar mesmo um pouco "duro" no começo, acho legal pra experimentar.

Maaas... acho esse estilo meio perigoso! Um leitor desavisado pode não perceber a transição fato/opinião e acaba sendo pouco crítico, sabe? Nesse caso no problems, mas se fosse um assunto polêmico essa seria uma estratégia narrativa pra influenciar mentes distraídas! Tô levando longe demais?

Sempre em Trânsito disse...

Muito interesante o blog, conteúdo inteligente e layout bacana.

Parabéns!